PROFI_T: Crescer em tempos de crise
01 Jan 2012

PROFI_T: Crescer em tempos de crise

Profi_T 5

Nascida do espírito empreendedor de três jovens cabo-verdianas, a PROFI_T, empresa especializada na consultoria, fiscalização e elaboração de projectos de arquitectura e engenharia, pretende afirmar-se no mercado como uma empresa criativa, dinâmica e capaz de fornecer soluções inovadoras no competitivo mercado da arquitectura, design de interiores e engenharia.

Em comum, além dos laços de sangue que as une, têm a paixão pela actividade profissional que desenvolvem. Filhas de um empresário desde sempre ligado à área da construção civil, as três irmãs, complementam-se nas várias valências que formam os alicerces da empresa.

Amelvira Tavares [por todos conhecida como Eda Tavares], Sónia Tavares e Kathyusa Tavares, são formadas em áreas distintas, no entanto fundamentais ao sucesso do empreendimento que agora iniciam. Eda, a mais velha, é formada em engenharia civil.  Sónia Tavares é formada em arquitectura e urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Kathyusa é licenciada em direito pela Universidade de Santa Úrsula, também do Rio de Janeiro.

Apesar de jovens, as três irmãs contam já com uma vasta experiência profissional, quer em projectos em Cabo Verde, quer mesmo no exterior. Regressada recentemente de Angola, onde se encontram a desenvolver um grande projecto para um centro de estágios para um clube de futebol profissional daquele país, Eda Tavares não esconde o entusiasmo e o orgulho que sente pelo bom desempenho que a PROFI_T tem revelado neste importante empreendimento. “Trabalhar em Angola tem sido uma experiência extraordinária. Além de nos proporcionar traquejo, pois é um mercado novo, dá-nos uma visão mais abrangente das nossas competências e potencialidades”, diz.

Sóna Tavares

Também Sónia Tavares, alia a experiência obtida durante mais de quatro anos a trabalhar em duas grandes empresas de arquitectura e engenharia, à capacidade criativa e inovadora que caracterizam a PROFI_T.

No entanto, para quem se quer afirmar no mercado, as dificuldades são sempre muitas. Inserida numa área extremamente competitiva, com a pressão da concorrência de empresas nacionais e estrangeiras que operam há muitos anos no país, a PROFI_T luta pela conquista de oportunidades que, conforme nos confidencia Sónia Tavares, “neste momento de crise que o sector atravessa, nem sempre aparecem.” Para a arquitecta, a situação é ainda mais constrangedora uma vez que “existem áreas com apoios estatais, que recebem incentivos, tais como o comércio, a agricultura e o turismo, no entanto a arquitectura e a construção civil não são abrangidas por esta protecção, apesar de, mesmo com a falta de projectos, termos de contribuir mensalmente para o INPS e para as finanças”, desabafa.

Apesar de contarem com alguns clientes privados, depositam todas as esperanças de crescimento no “cliente Estado” e nas autarquias, pois conforme salienta Eda Tavares, “esses são os grandes clientes, com projectos capazes de criar sustentabilidade às empresas desta área”. Segundo a engenheira, “os projectos nacionais privados também não dão grandes garantias, pois os clientes ainda valorizam pouco os projectos de arquitectura realizados por empresas cabo-verdianas”, lamenta. No entanto, e apesar das grandes dificuldades, no primeiro concurso público em que participam, é-lhes atribuída, em parceria com uma empresa portuguesa, a fiscalização de uma obra integrada no projecto “Casa para Todos”, o que é motivo de grande satisfação para a jovem equipa da PROFI_T.

Um dos grandes entraves ao crescimento da actividade é, segundo Sónia Tavares, “o grande número de projectos que vêm do estrangeiro, projectos esses que poderiam dar grande sustentabilidade e serviriam para alavancar as empresas nacionais”, e acrescenta que “em Cabo Verde, são feitos poucos projectos de arquitectura, e quem consegue os projectos ou já tem nome no mercado ou possui conhecimentos que facilitam a sua participação”.

Fruto da criatividade, experiência e conhecimento do mercado, a PROFI_T gostaria de conseguir, a curto prazo, ver desenvolvidas algumas das suas mais arrojadas e inovadoras ideias, nomeadamente ao nível do imobiliário turístico, não só na ilha de Santiago, mas também nas ilhas da Boa Vista e Maio, que, consideram, ser o futuro deste sector em Cabo Verde. No entanto, admitem que não é tarefa fácil, uma vez que “ainda há uma grande falta de empreendedorismo dos empresários cabo-verdianos, o que faz com que os grandes projectos de imobiliário turístico que aparecem em Cabo Verde sejam estrangeiros”, referem.

Eda Tavares

É, no entanto, este mercado do imobiliário turístico, o grande impulsionador da área da construção civil em Cabo Verde. Conforme dizem, “apesar dos grandes projectos turísticos terem abrandado, estão a aparecer algumas iniciativas ligadas ao turismo rural, em parceria com empresas estrangeiras”, mas conforme salientam, “também nesta nova área não tem sido fácil, pois a falta de financiamento é o maior entrave ao surgimento de novas iniciativas, e neste momento, esta é uma das maiores dificuldades que Cabo Verde enfrenta”. No entanto, conforme admitem, “é no sector privado que as empresas têm que encontrar saídas para a crise que se apoderou desta área de actividade. Embora não apareçam projectos de grande envergadura, há sempre muita procura para projectos residenciais, o que permite manter a actividade.”

Para as responsáveis da jovem empresa, “o que falta em Cabo Verde são oportunidades de negócio”, pois, conforme adiantam, “os jovens cabo-verdianos quando percebem que existem oportunidades, agarram-nas e aproveitam-nas”, e referem a sua experiência pessoal ao criarem parcerias com outros jovens empreendedores nacionais para o desenvolvimento de projectos conjuntos em áreas de sucesso, tais como o turismo, a agricultura e o lazer”, e terminam com um conselho: “os jovens empreendedores têm, antes de se aventurarem em qualquer negócio, de possuir um conhecimento da área onde pretendem investir. Depois há que ter coragem para enfrentar os problemas naturais que qualquer negócio ocasiona e finalmente, deverão ser suficientemente determinados na busca do seu objectivo, sem, no entanto, esquecer que o sucesso não se conquista da noite para o dia”.


visioncast

Comentários

  1. Ronice Palavra Nascimento Diz: Janeiro 23, 2012 at 9:17 pm

    Nhas 3 T … Estou orgulhosa de voces!
     
    “O risco anda de mão dada com o empreendedor de sucesso”  Fábio Azevedo

    Kel beijinho sabi!
    Ronice Palavra Nascimento 

  2. zezamoreira Diz: Janeiro 17, 2012 at 6:10 pm

    Estou muito orgulhosa de voces minhas sobrinhas nao imaginem a felicidade que estou sentindo nesse momento que DEUS vos ajudem sempre nesta longa caminhada porque voces merecem  bjsssssss tia zeza

  3. Aantunes1965 Diz: Janeiro 17, 2012 at 3:21 pm

    É enorme a satisfação que senti ao ler esta reportagem e é também com enorme satisfação, empenho e incentivo que sinto ao estar ligado a este desenvolvimento que tanto apregoam.  

    Felicidades e Boa Viagem… 🙂

    Artur

  4. Que Deus abencoe ainda mais a vida e a empresa de voces!!  voces sao talentosas e muito inteliegentes e e disso que o mundo precisa. Amo voces  minhas lindas amigas de infancia e de uma vida toda..

    sandra pereira
    USA

  5. Talento, Competênçia e Beleza e gente boa….raras vezes isso acontece no mundo globalizado de hoje… Parabéns Voçês merecem muito mais

  6. Fromcapeverd Diz: Janeiro 15, 2012 at 6:55 pm

    Boa sorte meninas…..ser ousado e arriscar duas chaves fundamentais para ao sucesso…….

Os comentários estão fechados.