António da Cruz – O “tocador” de São Nicolau
16 Ago 2016

António da Cruz – O “tocador” de São Nicolau

António nasceu no dia de Santa Cruz, na zona do Palhal, no Tarrafal de São Nicolau. Por esse facto, seria batizado António da Cruz. Ainda muito jovem, acompanhou a madrasta até São Vicente. Foi na pequena aldeia piscatória do Calhau, na costa leste daquela ilha, que António da Cruz iria passar toda a sua juventude. Foi também por lá que viria a descobrir a sua imensa paixão pela música. O seu pai era tocador. Os quatro tios também. António tinha a música a correr-lhe pelas veias. Sempre que podia, o jovem Da Cruz fugia para junto dos tios. A música enfeitiçava-o. Quando ouvia os primeiros acordes, ia apanhar paus de cana de milho, juntava três cordas de arame e com elas imitava os tocadores. Foi assim até aos 14 anos de idade. Depois começou a aprender a tocar violão e passou a acompanhar o pai e os tios. Tocava Coladeira, Mazurca, Polca, Valsa e Morna. Aprendeu violão, rabeca, banjo e violino. Percorreu São Vicente de Norte a Sul, do Este ao Oeste, sempre a pé, por vezes durante semanas, a tocar de festa em festa. O que ganhava não dava para as despesas das viagens, mas fazia-o sentir feliz. Compensava mais tarde com o trabalho árduo do campo. A agricultura era o sustento da casa e o pão dos seus treze filhos.

António da Cruz voltou, em 1999, ao seu amado Tarrafal, hoje bem mais desenvolvido do que aquela pacata terrinha que tinha deixado para trás, ainda no tempo da sua meninice. Regularmente, ainda mata saudades do violino. Agora toca para os netos — mais de quarenta — ou quando sente a nostalgia dos tempos de antigamente.


visioncast